A LISTA

Sabe quais são os lugares de Portugal que podem virar patrimônio da humanidade em breve? A lista indicativa do país ao título concedido pela UNESCO foi definida em maio de 2016 e é composta de 22 bens. Alguns eu conheço, como … Continuar lendo

RIBEIRA DO PORTO

Parte integrante do centro histórico, declarado patrimônio da humanidade em 1991, a Ribeira é um dos lugares mais disputados pelos turistas na cidade do Porto. Natural que seja assim, não é mesmo? Afinal, basta dar uma rápida olhada nas fotos … Continuar lendo

FÁBULAS DO MONDEGO

No post anterior, escrevi sobre a suposta origem romana e medieval do nome Mondego, o rio que atravessa a cidade de Coimbra. Mas não tratei de uma lenda luso-mourisca que também pode explicá-lo. Segundo essa narrativa, a palavra seria derivada … Continuar lendo

RIO MONDEGO

Coimbra não teria o mesmo encanto se não fosse o Mondego, quinto maior rio português, com mais de 250 quilômetros de extensão, e primeiro do ranking entre aqueles que têm seu curso inteiramente em Portugal. Dizem que seu nome vem … Continuar lendo

TEMPLO ROMANO

Aqui vão três fotos inéditas do Templo Romano de Évora, todas clicadas à noite durante minha passagem pelo Alentejo em outubro do ano passado. Aproveito para reproduzir a seguir dois pequenos textos relativos ao monumento e publicados no excelente livro … Continuar lendo

A VISTA DO JARDIM DE DIANA

Eis aqui duas das grandes atrações de Évora, cujo centro histórico foi declarado patrimônio mundial pela UNESCO em 1986. No primeiro plano, o que se vê é um pedaço do Templo Romano, com suas belas – e muito bem preservadas … Continuar lendo

AUTÊNTICA E MONUMENTAL

AUTÊNTICA E MONUMENTAL

Entre os próximos dias 29 de setembro e 9 de outubro, estarei em Évora, para mais uma rodada de fotos do seu centro histórico. Essa será minha segunda visita à cidade. Já estive lá em 2012. E guardo maravilhosas recordações. … Continuar lendo

MUSEU DE MACHADO DE CASTRO

Logo na minha primeira manhã em Coimbra, fui conhecer o Museu Nacional de Machado de Castro. Programaço. Vá por mim, é visita obrigatória, ainda que você não seja lá muito fã de museus. Primeiro, porque seu acervo é espetacular, entre arqueologia, escultura, pintura, cerâmica, ourivesaria, mobiliário e muito mais. Depois, porque ele fica no coração da Alta, bem ao lado da Sé Nova. Além disso, seu restaurante – o Loggia – tem boa comida e vistas melhores ainda. É por essas e outras que o Machado de Castro entra fácil na lista dos cinco museus mais legais que eu já visitei.

Começo aqui uma série de pelo menos quatro posts sobre o acervo arqueológico do MNMC. Para ser mais exato, sobre Aeminium, a cidade romana que, há cerca de 2 mil anos, existia onde hoje fica Coimbra. A prova mais eloquente de que esse realmente era o seu nome está na rocha das fotos. Trata-se da Lápide Honorífica. Perceba que, na sua parte inferior (foto 2), dá para ler com todas as letras a palavra AEMINIENS, referência explícita aos cidadãos de Aeminium. Em seu site, o museu escreve o seguinte:

“Descoberta em 1888, esta lápide – dedicada pela cidade de Aeminium ao dileto príncipe Flávio Valério Constâncio, nascido para o bem e progresso da República, pio, feliz, invicto, augusto, pontífice máximo, com o poder tribunício, pai da pátria, procônsul – tem a maior importância para Coimbra. Antes de mais, por ter confirmado documentalmente o seu nome romano; em segundo lugar, porque a data de 305-306, que os atributos do imperador estabelecem para a dedicatória, sugere que a grande benfeitoria concedida por Constâncio Cloro possa ter sido a construção da muralha. De entre as hipóteses possíveis, esta é a mais plausível pela concordância da datação com os factos históricos conhecidos para a Lusitânia.”

Coimbra

Lápide Honorífica: prova do nome romano de Coimbra

post-08-10-14 (02)

Na parte inferior da lápide, que foi descoberta em 1888, lê-se claramente a palavra “aeminiens”

© Fotos: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados