PINHÃO

Fiquei hospedado uns 10 dias nesse lugarzinho incrível de Portugal – coração do Alto Douro Vinhateiro, no Norte de Portugal. Foi em 2012, o ano mais importante da minha vida. Quando viajei a Portugal naquele ano, em outubro, minha filha … Continuar lendo

UCANHA

Adoro esta foto, nem sei por que eu ainda não a tinha publicado aqui no blog. Mas posso explicar direitinho o motivo que me faz gostar tanto dela: essa imagem pertence a um conjunto que me traz as melhores recordações. … Continuar lendo

VALE DE MENDIZ

VALE DE MENDIZ

Esse lugarzinho lindo, sobranceiro ao Rio Pinhão, é o povoado de Vale de Mendiz, no Alto Douro. As inquirições gerais de 1220, sob o reinado de D. Afonso II, referem-se a ela como Valem Menendo Dias, então um povoado sob posse administrativa … Continuar lendo

RIQUEZA E PROFUNDIDADE

RIQUEZA E PROFUNDIDADE

Douro, entre Peso da Régua e Pinhão. Vê o afloramento rochoso no primeiro plano? É xisto, o ingrediente típico do solo duriense. Rocha metamórfica, fortemente laminada. Por entre as lâminas, a água da chuva penetra, e vai se acomodando lá embaixo, a vários … Continuar lendo

SOCALCOS

Olha aí um exemplo da “partitura de socalcos” citada no post anterior. Essas são encostas da margem esquerda do Douro, entre as vilas de São João da Pesqueira e Pinhão. Observe como o solo parece rochoso. Seu principal componente é o xisto, uma rocha meio “mole”, que dá origem a um substrato de drenagem praticamente livre. Isso obriga a videira a criar raízes profundas para resistir à parca umidade e à escassez de chuvas. No caso das vinhas velhas, com 70 anos de idade ou mais, elas podem chegar a 25 metros de profundidade. Essas características, somadas ao relevo acidentado, aos verões escaldantes e aos inversos rigorosos, são determinantes. É delas que nasce toda a singularidade dos vinhos do Douro.

Encostas da margem esquerda do Douro, entre São João da Pesqueira e Pinhão

Douro, entre São João da Pesqueira e Pinhão

© Foto: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados

QUINTA NOVA

Volto ao Pinhão só para dar uma dica: bem mais legal que comprar vinhos e azeites na simpática lojinha da estação ferroviária é ir direto à fonte – a Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo, distante apenas 5 quilômetros da vila. A propriedade é linda. Proporciona belas vistas sobre o Rio Douro. E tem um restaurante muito bom. Quando estive lá, em outubro de 2012, combinei meu almoço com uma prova de vinhos. As harmonizações foram determinadas pelo chef. Tomei um branco (Grainha) com a entrada, dois tintos (Colheita e Reserva) com os pratos seguintes e um porto (Clã) com a sobremesa. Nos intervalos, chazinho de folha de videira para zerar minhas papilas gustativas. Recomendo.

Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo, a apenas 5 km da vila de Pinhão

Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo, distante apenas 5 km da vila de Pinhão

A propriedade tem 85 hectares de vinhedos que se estendem por 1,5 km na margem direita do Douro

São 85 hectares de vinhedos que se estendem por 1,5 km na margem direita do Douro

Boa parte dos legumes e das verduras servidos no restaurante são cultivados na própria quinta

As verduras e os legumes servidos no restaurante são cultivados na própria quinta

© Fotos: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados

CIMA CORGO

Pinhão, essa vilazinha de 600 e poucos habitantes, é o coração do Alto Douro vinhateiro. Ela fica bem no meio do Cima Corgo, o pedaço mais nobre da região demarcada. O que se vê circulando por suas estradinhas é uma quantidade assombrosa de vinhedos. Todas as principais marcas de vinho do porto e de mesa têm propriedades por lá.

Ponte sobre o Rio Douro na entrada de Pinhão, uma vila com menos de 700 habitantes

Ponte sobre o Rio Douro na entrada de Pinhão, uma vila com menos de 700 habitantes

Os socalcos típicos do Cima Corgo, que corresponde a 35% de toda a Região Demarcada do Douro

Os socalcos típicos do Cima Corgo, que corresponde a 35% de toda a Região Demarcada do Douro

© Fotos: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados

TRILHOS DO DOURO

TRILHOS DO DOURO

Quer saber? Vou tocar mais uma semana de Douro aqui no blog. E mais: aproveitando a deixa do post anterior, continuarei na estação ferroviária de Pinhão. Os trilhos que aparecem na foto, você já deve saber, são da Linha do … Continuar lendo