13 SARDINHAS POR SEGUNDO

Pois é. Durante o mês de junho, período das festas dos santos populares, os portugueses comem, em média, 13 sardinhas por segundo. Com um detalhe: o consumo nunca foi tão baixo quanto é hoje. Não que as pessoas estejam enjoando do peixe, muito pelo contrário. O problema é que a população de sardinhas vem caindo ano a ano na costa portuguesa.

Sardinhas: elas estão sumindo misteriosamente das água portuguesas

Sardinhas: elas estão sumindo misteriosamente das águas portuguesas

Segundo o jornal Público, a pesca de sardinhas em Portugal caiu de 64 mil toneladas em 2010 para 32 mil em 2012, 28 mil em 2013 e apenas 16 mil em 2014. O motivo? Cientistas se esforçam para explicar, mas ainda não têm a menor ideia do que está acontecendo. “Ironicamente, o declínio coincide com um momento de certo júbilo”, escreve o jornalista Ricardo Garcia, “quando a pesca de cerco à sardinha em Portugal recebeu um selo internacional de actividade sustentável.”

Uma vendedora de peixes no tradicional Mercado do Bolhão, Porto

Uma vendedora de peixes no tradicional Mercado do Bolhão, Porto

Aí o leitor deste blog pergunta: “por que diabos o sujeito está escrevendo sobre sardinhas em um espaço dedicado a patrimônios da humanidade? Eh pá, não fiquei maluco, não. Este post, na verdade, é duplamente patrimônio mundial. Primeiro, porque a sardinha faz parte da dieta mediterrânea, declarada patrimônio imaterial da humanidade em 2013. Depois, porque estas fotos foram feitas no tradicional Mercado do Bolhão, centro histórico do Porto – classificado pela Unesco em 1996.

© Fotos: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados

VIDA CONVENTUAL

Esta galeria contém 8 imagens.

Um passeio pelas ruínas e pelo centro interpretativo do Mosteiro de Santa Clara-a-Velha. Os textos são rigorosamente os mesmos apresentados ao público que visita o monumento. “O claustro: era o coração do mosteiro, pois ligava, entre si, as dependências mais … Continuar lendo