PALÁCIO DE VASTAS DIMENSÕES

PALÁCIO DE VASTAS DIMENSÕES

Paço dos Duques de Bragança, um dos monumentos mais emblemáticos de Guimarães. Nas palavras das autoridades locais de turismo: “Majestosa casa senhorial do século 15, mandada edificar por D. Afonso (futuro Duque de Bragança, filho bastardo do Rei D. João … Continuar lendo

PALÁCIO NACIONAL

De novo, reproduzo o que o site dos Parques de Sintra escreve:

“O Palácio Nacional de Sintra, situado no centro histórico da vila, é um monumento único e incontornável pelo seu valor histórico, arquitetónico e artístico. De todos os palácios que os monarcas portugueses mandaram erigir ao longo da Idade Média, apenas o de Sintra chegou até aos nossos dias praticamente intacto, mantendo a essência da sua configuração e silhueta desde meados do século 16. As principais campanhas de obras posteriores à Reconquista Cristã (século 12) foram promovidas pelos reis D. Dinis, D. João I e D. Manuel I, entre finais do século 13 e meados do século 16. Essas obras de adaptação, ampliação e melhoramento determinaram a fisionomia do palácio.

As primeiras alusões a estruturas palacianas em Sintra são anteriores à Reconquista. O geógrafo árabe Al-Bakrî (século 11) refere, em Sintra, dois castelos de extrema solidez (fonte: Al-Himyarî, geógrafo e historiador muçulmano). Esses seriam o situado no cimo da serra, que ainda é chamado Castelo dos Mouros, e o que existiria no lugar do atual, implantado junto à povoação, na antiga Almedina. Teria servido como habitação dos governantes mouros e, após 1147, dos reis cristãos, na sequência das conquistas de Santarém e de Lisboa.

Após a retomada de Sintra, decorreu algum tempo até os reis portugueses começarem a frequentar o palácio com maior assiduidade, sobretudo depois de Lisboa se afirmar como sede do poder central. A proximidade da capital, o clima privilegiado, a paisagem, a abundância de víveres e as condições de caça foram fatores determinantes na escolha de Sintra como refúgio da Corte durante os meses de verão.

O palácio foi classificado como Monumento Nacional em 1910 e integra-se na Paisagem Cultural de Sintra, classificada pela Unesco como património da humanidade desde 1995.”

O Palácio Nacional de Sintra mantém a essência da sua configuração desde meados do século 16

O Palácio Nacional de Sintra mantém a essência da sua configuração desde meados do século 16

© Foto: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados

MONSERRATE

Assista ao vídeo e me diga se esse lugar não merece uma visita de, no mínimo, um dia inteiro. Ou de dois, três dias, sei lá… Eu passaria fácil uma semana inteira explorando Monserrate. No último mês de setembro, a European Garden Heritage Network deu-lhe o título de jardim europeu do ano na categoria Parques Históricos. Pode acreditar: há muito mais para conhecer em Sintra além do Parque da Pena, do Palácio Nacional e do Castelo dos Mouros.