3 MILHÕES DE VISITANTES EM SINTRA

O Palácio da Pena, o Palácio da Vila e o Castelo dos Mouros, entre outros monumentos e parques sob tutela da Parques de Sintra, receberam mais de 3 milhões de visitantes em 2017, um crescimento de quase 22% em relação … Continuar lendo

O PALÁCIO DA VILA DE SINTRA

Sabia que o Palácio Nacional de Sintra, também conhecido como Palácio da Vila, foi usado pela família real portuguesa até o fim da monarquia, em 1910? Sua construção teve início no século 15, mas não se sabe quem foi o arquiteto … Continuar lendo

Cap 3 – SINTRA (PALÁCIO DA PENA)

Eis aqui 12 fotos do Palácio da Pena pré-selecionadas para o livro que pretendo publicar, sobre os patrimônios mundiais portugueses e suas conexões com a história do Brasil. Se você tivesse de escolher apenas quatro, quais escolheria? Pergunto porque não … Continuar lendo

Cap 3 – SINTRA (PALÁCIO NACIONAL)

Sigo compartilhando com os amigos a edição das imagens que estarão no livro Portugal – Patrimônios da Humanidade. A ideia, como a maior parte dos seguidores deste blog já deve saber, é que a obra não apenas conte a história dos … Continuar lendo

VIAGEM A PORTUGAL I (III)

VIAGEM A PORTUGAL I (III)

Começo aqui mais uma série de fotos da minha primeira passagem por Portugal, em 2009 – dessa vez, em cores. O edifício que aparece na imagem é o Palácio Nacional de Sintra. Este foi um dos meus primeiros clicks na cidade. Eu … Continuar lendo

PALÁCIO NACIONAL

De novo, reproduzo o que o site dos Parques de Sintra escreve:

“O Palácio Nacional de Sintra, situado no centro histórico da vila, é um monumento único e incontornável pelo seu valor histórico, arquitetónico e artístico. De todos os palácios que os monarcas portugueses mandaram erigir ao longo da Idade Média, apenas o de Sintra chegou até aos nossos dias praticamente intacto, mantendo a essência da sua configuração e silhueta desde meados do século 16. As principais campanhas de obras posteriores à Reconquista Cristã (século 12) foram promovidas pelos reis D. Dinis, D. João I e D. Manuel I, entre finais do século 13 e meados do século 16. Essas obras de adaptação, ampliação e melhoramento determinaram a fisionomia do palácio.

As primeiras alusões a estruturas palacianas em Sintra são anteriores à Reconquista. O geógrafo árabe Al-Bakrî (século 11) refere, em Sintra, dois castelos de extrema solidez (fonte: Al-Himyarî, geógrafo e historiador muçulmano). Esses seriam o situado no cimo da serra, que ainda é chamado Castelo dos Mouros, e o que existiria no lugar do atual, implantado junto à povoação, na antiga Almedina. Teria servido como habitação dos governantes mouros e, após 1147, dos reis cristãos, na sequência das conquistas de Santarém e de Lisboa.

Após a retomada de Sintra, decorreu algum tempo até os reis portugueses começarem a frequentar o palácio com maior assiduidade, sobretudo depois de Lisboa se afirmar como sede do poder central. A proximidade da capital, o clima privilegiado, a paisagem, a abundância de víveres e as condições de caça foram fatores determinantes na escolha de Sintra como refúgio da Corte durante os meses de verão.

O palácio foi classificado como Monumento Nacional em 1910 e integra-se na Paisagem Cultural de Sintra, classificada pela Unesco como património da humanidade desde 1995.”

O Palácio Nacional de Sintra mantém a essência da sua configuração desde meados do século 16

O Palácio Nacional de Sintra mantém a essência da sua configuração desde meados do século 16

© Foto: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados

SINTRA MONUMENTAL

Uma incursão na história e na arquitetura de quatro dos mais importantes patrimônios de Sintra. Pela ordem: Palácio Nacional, Palácio da Pena, Quinta da Regaleira e Palácio de Monserrate. Apresentado pelo historiador da arte Monterroso Teixeira, este é mais um episódio da série Património Mundial, produzida e exibida pela RTP2.

UM DIA EM SINTRA É POUCO

Conheço muitos viajantes que optam por conhecer Sintra no esquema day trip, a partir de Lisboa. Natural, já que apenas 30 minutos de trem separam uma cidade da outra. Não tenha dúvida de que é melhor passar um único dia em Sintra do que simplesmente não visitá-la. Mas recomendo fortemente uma estadia bem mais longa, de pelo menos uma semana. Há muita coisa legal para ver na cidade e nos seus arredores. Além do Palácio da Pena, do Palácio Nacional e do Castelo dos Mouros, monumentos mais concorridos, tem também a Quinta da Regaleira, o Parque de Monserrate, o Convento dos Capuchos… Uma lista enorme de atrações. Cada um desses lugares merece um passeio de dia inteiro – ou quase isso.

O Palácio da Pena visto do Castelo dos Mouros

O Palácio da Pena visto do Castelo dos Mouros

© Foto: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados