Cap 6 – CONVENTO DE CRISTO (CLAUSTROS, REFEITÓRIO E AQUEDUTO)

Aqui vão as 12 fotos restantes do conjunto de 26 que comecei a publicar no mês passado. Completa-se, assim, a primeira fase de pré-edição das imagens que entrarão no capítulo 6, sobre o Convento de Cristo. O livro, caso ainda … Continuar lendo

CONVENTO DE CRISTO EM 5 FOTOS

Um passeio por alguns dos lugares mais fascinantes do Convento de Cristo, em Tomar. Já estive três vezes nesse espetacular monumento. E pretendo voltar outras tantas. Aproveito a publicação destas cinco imagens, todas inéditas aqui no blog, para reproduzir um … Continuar lendo

MONSARAZ

Esta pequena vila alentejana, cuja população não chega aos 800 habitantes, é seguramente um dos lugares mais incríveis nos quais já estive em toda a minha vida. Minha passagem por lá, em outubro passado, foi breve, mas suficiente para que … Continuar lendo

IGREJA DE SÃO FRANCISCO

IGREJA DE SÃO FRANCISCO

O edifício que aparece em destaque nesta foto, no segundo plano, é a Igreja de São Francisco, um dos monumentos mais importantes de Évora. Ela foi construída entre os anos de 1480 e 1510 pelos mestres Martim Lourenço e Pero de … Continuar lendo

O CORAÇÃO DA ORDEM DO TEMPLO

Eis a charola do Convento de Cristo, em Tomar, o mais bem preservado monumento templário em toda a Europa. Assim, vista de fora, não dá para perceber direito, mas trata-se de uma rotunda octogonal, claramente inspirada na da Igreja do Santo Sepulcro, em Jerusalém. Tem a altura de um prédio de três andares. E sua estrutura ainda é a original, do século 12.

A charola vista do lado de fora do Convento de Cristo: rotunda octogonal com a altura de um prédio de três andares

A charola vista de fora: rotunda octogonal com a altura equivalente a de um prédio de três andares

O site oficial do convento descreve assim o oratório: “A charola do Convento de Cristo, célebre por ser, na sua origem, um dos mais extraordinários exemplos da arquitectura templária, pertence à campanha de obras românica e gótica, dos séculos 12 e 13. Trata-se de um edifício poligonal, com oito faces no tambor central, desdobradas em 16 faces no exterior, que pretende reproduzir idênticos edifícios de planta centralizada, conhecidos dos templários e inspirados na Igreja do Santo Sepulcro de Jerusalém. Concluída no século 12, possuía porta a nascente que se manteve em funcionamento até a reforma manuelina.”

Visitantes diante do oratório: inspirado no Santo Sepulcro

Visitantes diante do oratório: inspirado no Santo Sepulcro

“Sob o impulso do Infante D. Henrique, quando este foi governador da Ordem de Cristo (1420-1460), procedeu-se à primeira alteração do edifício, com abertura de dois tramos a poente, de modo a instalar-se aí o coro e a tribuna. Desta época datará também o tubo de órgão de madeira e couro, ainda visível na parede norte da charola.”

A decoração é dos séculos 15 e 16: obra promovida por D. Manuel

Decoração dos séculos 15 e 16: obra promovida por D. Manuel

“A maior campanha de obras é promovida mais tarde por D. Manuel I, entre 1495 e 1521, durante a qual se rasgam completamente dois dos 16 tramos da parede externa, abrindo o espaço a ocidente, através do grande arco triunfal que unirá este espaço à nova igreja manuelina. É desta época, também, o programa decorativo que acentua a riqueza do local. O enriquecimento do programa iconográfico da charola, transformada em capela-mor da nova igreja, incluiu escultura, pintura sobre madeira e sobre couro, pintura mural e estuques.”

Atores no papel de templários: coração da Ordem do Templo

Atores no papel de templários: coração da Ordem do Templo

© Fotos: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados

CORRESPONDÊNCIA PROFÉTICA

Detalhes do Portal Sul da Igreja Manuelina, Convento de Cristo, Tomar. Iniciada em 1515, essa fachada é obra de João de Castilho, considerado o maior arquiteto português no século 16 – e um dos grandes da Europa no seu tempo. A iconografia usada no portal, segundo especialistas, ilustra a correspondência profética entre o Antigo e o Novo Testamento.

Portal Sul da Igreja Manuelina, iniciado em 1515 pelo arquiteto João de Castilho

Portal Sul da igreja, iniciado em 1515 pelo arquiteto João de Castilho

Um pouco mais de perto, para ver com algum grau de detalhe uma das imagens do portal

Um pouco mais de perto, para ver com algum detalhe uma das imagens do portal

© Fotos: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados

A JANELA MAIS IMPORTANTE DE PORTUGAL

Eis a igreja do Convento de Cristo – sólida, maciça, algo intimidadora. E, na foto seguinte, a Janela do Capítulo, citada em um dos posts anteriores. Ela é considerada a expressão máxima da arquitetura manuelina. Tem esse nome porque fica no edifício que um dia foi a Casa do Capítulo, local onde aconteciam as reuniões gerais de freires e cavaleiros da Ordem de Cristo. Perceba que bem lá no alto, acima até do brasão das Armas de Portugal, está a cruz dos templários. Encomendada por D. Manuel I e desenhada por Diogo de Arruda, essa janela tem mais de 500 anos. Vale uma semana inteira de posts, um para cada detalhe da sua ornamentação. Ainda farei isso aqui.

A igreja do Convento de Cristo, algo intimidadora de tão sólida

A igreja do Convento de Cristo, em Tomar: algo intimidadora de tão sólida e maciça

A Janela do Capítulo, máxima expressão da arquitetura manuelina

A Janela do Capítulo: pura arquitetura manuelina

© Fotos: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados

10 MINUTOS DE HISTÓRIA

Sabia que a primeira torre de menagem construída em Portugal fica no Convento de Cristo? E que claustro principal do monumento é considerado uma obra-prima do Renascimento? Tudo isso – e muito mais – é explicado neste documentário produzido em 2011 pelo IGESPAR (Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico).

FORTALEZA TEMPLÁRIA

FORTALEZA TEMPLÁRIA

Quem visita o Convento de Cristo sem conhecer sua história deve achar tudo muito estranho logo de cara. Afinal, é essa muralha defensiva que recepciona os visitantes. Até se deparar com a igreja, lá dentro do complexo, a impressão que se … Continuar lendo