Cap 6 – CONVENTO DE CRISTO (CLAUSTROS, REFEITÓRIO E AQUEDUTO)

Aqui vão as 12 fotos restantes do conjunto de 26 que comecei a publicar no mês passado. Completa-se, assim, a primeira fase de pré-edição das imagens que entrarão no capítulo 6, sobre o Convento de Cristo. O livro, caso ainda … Continuar lendo

O CLAUSTRO DO SILÊNCIO

O CLAUSTRO DO SILÊNCIO

Piso térreo do Claustro de D. Dinis, também conhecido com Claustro do Silêncio. Esta era a área central do Mosteiro de Alcobaça, à volta da qual foram dispostas suas principais dependências – a igreja, a Sala do Capítulo, o parlatório, a Sala dos Monges, … Continuar lendo

O REFEITÓRIO DE CRISTO

O REFEITÓRIO DE CRISTO

Diante da exuberância de atrações como a Charola, o Claustro Principal ou a Janela do Capítulo, poucos são os visitantes do Convento de Cristo que se ocupam deste espaço por mais do que alguns poucos minutos. Pois comigo acontece o oposto. … Continuar lendo

ÍCONE DA RENASCENÇA

Claustro principal do Convento de Cristo, em Tomar, uma das mais belas peças da arquitetura renascentista europeia. Foi o próprio rei, D. João III, a iniciativa de construí-lo. Contratou para a empreitada o maior arquiteto que passou por Portugal no século 16, João de Castilho. Mas acabou ordenando sua destruição parcial não muito tempo depois. Coube ao escultor e arquiteto Diogo de Torralva a missão de repaginá-lo – dessa vez, bebendo na fonte geométrica da antiguidade clássica.

“Com o país a atravessar uma crise económica, não podia tratar-se apenas de um devaneio real”, escreve a RTP em sua plataforma educativa. “Acredita-se que o monarca teve a nítida percepção de que a obra ia ficar para a posteridade. O claustro de D. João III tem a coragem de romper com as concepções excessivas do estilo manuelino para se aproximar das composições harmoniosas e austeras que floresciam então em Itália e França.”

Claustro principal do convento: geometria da antiguidade clássica

Claustro principal: geometria da antiguidade clássica

© Foto: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados

CORRESPONDÊNCIA PROFÉTICA

Detalhes do Portal Sul da Igreja Manuelina, Convento de Cristo, Tomar. Iniciada em 1515, essa fachada é obra de João de Castilho, considerado o maior arquiteto português no século 16 – e um dos grandes da Europa no seu tempo. A iconografia usada no portal, segundo especialistas, ilustra a correspondência profética entre o Antigo e o Novo Testamento.

Portal Sul da Igreja Manuelina, iniciado em 1515 pelo arquiteto João de Castilho

Portal Sul da igreja, iniciado em 1515 pelo arquiteto João de Castilho

Um pouco mais de perto, para ver com algum grau de detalhe uma das imagens do portal

Um pouco mais de perto, para ver com algum detalhe uma das imagens do portal

© Fotos: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados