NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÃO

Guimarães em dia de nevoeiro, linda como ela só. O nome completo da igreja da foto é Nossa Senhora da Consolação e Santos Passos. Ou, se preferir, Igreja de São Gualter, padroeiro da cidade. Ela fica fora da área declarada … Continuar lendo

Cap 1 – TORRE DE BELÉM

Esta galeria contém 19 imagens.

Que tal acompanhar a produção de um photobook em tempo real? Aqui, você pode. Caso ainda não saiba, pretendo publicar um livro sobre os patrimônios mundiais portugueses e suas conexões com a história do Brasil. No ano passado, simplesmente não … Continuar lendo

OS POSTS MAIS VISTOS EM 2016

1º – COLÉGIO DO ESPÍRITO SANTO 2º – UM DOS MONUMENTOS MAIS ESPETACULARES DE PORTUGAL 3º – ROTA DOS VINHOS DO ALENTEJO 4º – ONDE NASCEU O PRIMEIRO REI 5º – A JANELA MAIS IMPORTANTE DE PORTUGAL 6º – MONSARAZ 7º … Continuar lendo

CONVENTO DE CRISTO EM 5 FOTOS

Um passeio por alguns dos lugares mais fascinantes do Convento de Cristo, em Tomar. Já estive três vezes nesse espetacular monumento. E pretendo voltar outras tantas. Aproveito a publicação destas cinco imagens, todas inéditas aqui no blog, para reproduzir um … Continuar lendo

INSPIRAÇÃO TEMPLÁRIA

Essa é a janela neomanuelina do Palácio da Pena, em Sintra. Já percebeu como ela é parecida com famosa Janela do Capítulo, do Convento de Cristo, em Tomar? Não é coincidência, trata-se de uma cópia mesmo.

A janela neomanuelina do Palácio da Pena, em Sintra: cópia da Janela do Capítulo em Tomar

A janela da Pena: cópia da Janela do Capítulo em Tomar

© Foto: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados

No website da Parques de Sintra, que administra o palácio, a história é resumida assim:

“A janela neomanuelina do Palácio da Pena é uma recriação revivalista da célebre janela manuelina do Convento de Cristo de Tomar do século 16, que o rei D. Fernando tinha visitado pela primeira vez em 1843 (foi também por iniciativa do rei que se mandou demolir um pequeno claustro que ocultava esta janela, que hoje está à vista de todos). Impressionado por este ícone da arte do tempo dos Descobrimentos, D. Fernando incluiu uma versão simplificada na fachada poente do Palácio Novo, que no interior corresponde à Sala de Fumo.

Aqui foi retomada a temática decorativa nos elementos de pedra que emolduram uma janela de volta inteira: esferas armilares, correntes, cordas e motivos vegetalistas, assim como a cruz de Cristo. Sob a janela e sobre o óculo à maneira de rosácea, vêm-se as armas do rei consorte, constituído pelas armas da sua esposa, rainha D. Maria II, e pelas da sua família de origem, os duques de Saxe-Coburgo. Com esta janela inaugurou-se o estilo neomanuelino, tão determinante na arte e arquitetura portuguesas até aos inícios do século 20.”