MOSTEIRO DE ALCOBAÇA

Eis um dos mais importantes mosteiros cisternienses medievais da Europa, destino obrigatório para todo viajante que se esteja em visita ao Centro de Portugal. As fotos reunidas neste post são antigas, foram feitas em 2009, durante minha primeira visita ao … Continuar lendo

MUSEU DE MACHADO DE CASTRO

Logo na minha primeira manhã em Coimbra, fui conhecer o Museu Nacional de Machado de Castro. Programaço. Vá por mim, é visita obrigatória, ainda que você não seja lá muito fã de museus. Primeiro, porque seu acervo é espetacular, entre arqueologia, escultura, pintura, cerâmica, ourivesaria, mobiliário e muito mais. Depois, porque ele fica no coração da Alta, bem ao lado da Sé Nova. Além disso, seu restaurante – o Loggia – tem boa comida e vistas melhores ainda. É por essas e outras que o Machado de Castro entra fácil na lista dos cinco museus mais legais que eu já visitei.

Começo aqui uma série de pelo menos quatro posts sobre o acervo arqueológico do MNMC. Para ser mais exato, sobre Aeminium, a cidade romana que, há cerca de 2 mil anos, existia onde hoje fica Coimbra. A prova mais eloquente de que esse realmente era o seu nome está na rocha das fotos. Trata-se da Lápide Honorífica. Perceba que, na sua parte inferior (foto 2), dá para ler com todas as letras a palavra AEMINIENS, referência explícita aos cidadãos de Aeminium. Em seu site, o museu escreve o seguinte:

“Descoberta em 1888, esta lápide – dedicada pela cidade de Aeminium ao dileto príncipe Flávio Valério Constâncio, nascido para o bem e progresso da República, pio, feliz, invicto, augusto, pontífice máximo, com o poder tribunício, pai da pátria, procônsul – tem a maior importância para Coimbra. Antes de mais, por ter confirmado documentalmente o seu nome romano; em segundo lugar, porque a data de 305-306, que os atributos do imperador estabelecem para a dedicatória, sugere que a grande benfeitoria concedida por Constâncio Cloro possa ter sido a construção da muralha. De entre as hipóteses possíveis, esta é a mais plausível pela concordância da datação com os factos históricos conhecidos para a Lusitânia.”

Coimbra

Lápide Honorífica: prova do nome romano de Coimbra

post-08-10-14 (02)

Na parte inferior da lápide, que foi descoberta em 1888, lê-se claramente a palavra “aeminiens”

© Fotos: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados