MADEIRA EM P&B – FUNCHAL

Volto à Madeira esta semana para um passeio pelo Funchal com fotos exclusivamente em preto-e-branco, todas produzidas durante minha primeira e única visita à ilha até agora, em setembro 2015. A cidade foi recentemente castigada por um incêndio de grandes proporções, … Continuar lendo

ONDE MORAM AS NUVENS

Eis uma cena comum no Pico do Areeiro: nuvens abraçando a montanha, movendo-se rápido entre as escarpas, ocultando vales profundos e deixando embasbacados os visitantes que encaram seus 1.816 metros de altitude. Este não é o ponto culminante da Ilha … Continuar lendo

COSTA NORTE DA MADEIRA

Publico hoje um conjunto de oito fotos clicadas durante minha incursão pela costa norte da Madeira, ocorrida precisamente no dia 26 de setembro do ano passado. Comecei bem cedinho pela Ponta de São Lourenço, no extremo leste da ilha. Minha … Continuar lendo

A MAIOR DIOCESE DO MUNDO

Sabia que a Sé do Funchal já foi o mais poderoso templo católico do mundo? Isso mesmo, você leu direitinho: a catedral das fotos aqui publicadas, que nem parece tão especial assim quando vista de fora, foi, durante 22 anos, … Continuar lendo

SÉ DO FUNCHAL

Esta semana, quero mostrar aqui um pouco da Sé do Funchal, na Ilha da Madeira, uma catedral transbordante de história. Pretendo tratar, inclusive, de uma fascinante conexão entre ela e a história do Brasil, que a maior parte dos leitores … Continuar lendo

CENTRO HISTÓRICO DO FUNCHAL

Uma das boas surpresas que aguardam o turista de primeira viagem à Ilha da Madeira é o centro histórico do Funchal. Dada a vocação portuária da cidade e o trânsito intenso de navios de cruzeiro, confesso que esperava encontrar uma área … Continuar lendo

FUNCHAL

FUNCHAL

Volto esta semana à Madeira não para mostrar a Floresta Laurissilva, patrimônio da humanidade, mas para publicar algumas fotos de sua maior cidade: o Funchal, um lugar impregnado de história. Trata-se do primeiro núcleo urbano português criado fora do continente. … Continuar lendo

PRESS TRIP 2015 – DIA 4 – MADEIRA

Sexta-feira, 25 de setembro. Às 7 da manhã, lá estava eu no Miradouro do Pináculo, extremo leste do concelho do Funchal. Céu baixo, carregado. As luzes da cidade ainda acesas. E um poste atrás de mim tingindo de vermelho todo o … Continuar lendo

PRESS TRIP 2015 – DIA 3 – MADEIRA

Quinta-feira, 24 de setembro. Meu plano para o dia era simples: conhecer o Miradouro dos Balcões no período da manhã e voltar ao Pico do Areeiro à tarde. Pois foi mais ou menos isso o que eu acabei fazendo. O … Continuar lendo

PRESS TRIP 2015 – DIA 2 – MADEIRA

Quarta-feira, 23 de setembro. O dia tinha começado cedo para mim. Pequeno-almoço improvisado no hotel, ali pelas 6 da manhã. Quinze minutos depois, já estava no carro, digitando “Pico do Areeiro” no Waze. Queria ver o sol nascer lá de cima, no topo do segundo pico mais alto da Ilha da Madeira (1.817 metros). E tudo acontecia, até aquela altura, exatamente como estava planejado. Só não contava com um imprevisto: o aplicativo acabou me levando pelo pior caminho possível. Em vez de sugerir a rota que passa por Poiso, utilizada pela maioria dos visitantes, o Waze me conduziu pela ER107 até a entrada de uma estrada florestal que só abriria às 9h. Sacramentou-se, assim, a primeira trave da viagem. Eu havia perdido o amanhecer no Areeiro.

Dei uma consultada nas minhas anotações, uma olhada rápida nos mapas e conclui que o melhor a fazer era seguir um pouco mais adiante, em direção ao Miradouro da Eira do Serrado. Foi lá que eu cliquei as primeiras fotos do dia, com uma vista privilegiada para a freguesia do Curral das Freiras.

Curral das Freiras desde a Eira do Serrado (foto feita com um iPhone 5s)

Curral das Freiras desde a Eira do Serrado (foto feita com um iPhone 5s)

Às 9h quase em ponto, estava de volta à entrada da estrada florestal, achando que ainda corria o risco de encontrá-la fechada. Só que não, a porteira já tinha sido levantada. Passei batido, doido para aproveitar, em algum cenário bacana, os raios de sol que de vez em quando conseguiam driblar o céu carregado. Pois não demorou quase nada até aparecer um lugar assim: o Miradouro do Paredão, com vistas incríveis do concelho do Funchal e também do Curral das Freiras.

A estrada florestal que liga a Eira do Serrado ao Pico do Areeiro

A estrada florestal que liga a Eira do Serrado ao Pico do Areeiro

O maciço central da Madeira visto do Miradouro do Paredão

O maciço central da Madeira visto do Miradouro do Paredão

Do Paredão, finalmente segui para o Pico do Areeiro, onde se inicia uma vereda (trilha) de 7 quilômetros até o Pico Ruivo – essa, sim, a montanha mais alta da Madeira, com 1.861 metros. Já era tarde, quase 11h30. A luz começava a ficar ruim. Mas dei de ombros e fui fotografando até o estômago reclamar da fome. Por volta das 13h, comecei a voltar para o Funchal – dessa vez, por Poiso, onde almocei um delicioso prego no bolo de caco. À tarde, tornei a circular pela Zona Velha da cidade.E voltei para hotel mais cedo. Estava exausto, precisando de uma ou duas horinhas de sono antes de sair para jantar.

Início da Vereda do Areeiro, com 7 km de extensão

Início da Vereda do Areeiro, com 7 km de extensão

Pico Ruivo, ponto culminante da ilha

Pico Ruivo, ponto culminante da ilha

© Fotos: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados