LUZ DE OUTUBRO

LUZ DE OUTUBRO

Seis e meia, sete horas da manhã. E luz de outubro, só que de três anos atrás, 2015. Antes, bem antes do horário de abertura do monumento ao público. Portanto, sem multidões. Foi esse o contexto da foto que se … Continuar lendo

OBRA-PRIMA MANUELINA

Ir a Lisboa e não conhecer o Mosteiro dos Jerónimos equivale a ir ao Cairo e não ver as pirâmides. Declarado patrimônio da humanidade em 1983, junto com a Torre de Belém, o lugar é uma obra prima do estilo manuelino – variação portuguesa do gótico tardio. Começou a ser erguido em 1501. Àquela altura, Portugal era todo otimismo. Vivia-se a Era dos Descobrimentos e Pedro Álvares Cabral tinha acabado de desembarcar no Brasil. A maré era tão favorável que o rei, D. Manuel I, ordenou a construção do mosteiro e decidiu consagrá-lo à descoberta do Caminho das Índias (1497-1499). Vem daí, por sinal, o termo “manuelino”, criado pelo historiador brasileiro Francisco Adolfo de Varnhagen (Visconde de Porto Seguro) no livro Notícia Histórica e Descriptiva do Mosteiro de Belém, de 1842.

Portal Sul da Igreja de Santa Maria de Belém, Mosteiro dos Jerónimos

Portal Sul da Igreja de Santa Maria de Belém, Jerónimos

© Foto: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados