OS CICLISTAS DA BATALHA

OS CICLISTAS DA BATALHA

Um momento meio mágico no Mosteiro da Batalha, expoente máximo da arte gótica em Portugal. Eu ainda procurava o melhor quadro para a foto quando os dois ciclistas atravessaram a cena. Meu dedo indicador da mão direita instintivamente pressionou o … Continuar lendo

ELE, O PAÇO DAS ESCOLAS

ELE, O PAÇO DAS ESCOLAS

Não há lugar mais emblemático em Coimbra do que este: o Paço das Escolas. Aqui, em 1544, todas as escolas da universidade foram concentradas. O site oficial da instituição descreve o lugar da seguinte maneira: “Entrando no Pátio das Escolas deparamos, … Continuar lendo

CLAUSTRO REAL

Detalhe do Claustro Real – ou Claustro D. João I, como você preferir. Um lugar de arquitetura solene, bem tranquilo e relaxante quando não está abarrotado de turistas. Foi começado pelo mestre português Afonso Domingues, no século 14, e terminado pelo irlandês David Huguet, no século 15. A dica é aquela de sempre: evite os fins de semana e, se possível, fuja também dos meses de verão. Visitar o Mosteiro da Batalha sem muvuca é muito mais legal. Em 2013, este foi o terceiro monumento mais visitado do país, com 291,5 mil visitantes. Só ficou atrás do Mosteiro dos Jerónimos (723 mil) e da Torre de Belém (538 mil), ambos em Lisboa.

Luz de fim de tarde no Claustro Real, Mosteiro da Batalha: lugar solene e elegante

Luz de fim de tarde no Claustro Real, Mosteiro da Batalha: lugar de arquitetura solene e elegante

© Foto: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados

PALÁCIO DE VASTAS DIMENSÕES

PALÁCIO DE VASTAS DIMENSÕES

Paço dos Duques de Bragança, um dos monumentos mais emblemáticos de Guimarães. Nas palavras das autoridades locais de turismo: “Majestosa casa senhorial do século 15, mandada edificar por D. Afonso (futuro Duque de Bragança, filho bastardo do Rei D. João … Continuar lendo

A CAPELA DO FUNDADOR

Eis a Capela do Fundador, um dos lugares mais bonitos – e fúnebres – do Mosteiro da Batalha. O túmulo duplo que aparece em destaque é do rei D. João I, primeiro monarca da Dinastia de Avis, e da rainha Filipa de Lencastre. Mas eles não são os únicos integrantes da monarquia portuguesa sepultados aqui. Nos arcos das paredes ao redor estão quatro de seus filhos (D. Pedro, D. Henrique, D. João e D. Fernando), um neto (D. Afonso V), um bisneto (D. João II) e um trineto (D. Afonso). De todas essas nobres figuras, sou particularmente fascinado por duas: D. Henrique, também conhecido como O Navegador, e D. Fernando, o Infante Santo. Um dia ainda conto a história deles aqui.

O túmulo do rei D. João O, primeiro monarca da Dinastia de Avis, e da rainha Filipa de Lencastre

O túmulo do rei D. João I, primeiro monarca da Dinastia de Avis, e da rainha Filipa de Lencastre

D. João esteve na lendária Batalha de Aljubarrota, travada contra o Reino de Castela em 1385

D. João esteve na lendária Batalha de Aljubarrota, travada contra o Reino de Castela em 1385

© Fotos: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados

PROMESSA À VIRGEM MARIA

PROMESSA À VIRGEM MARIA

Declarado patrimônio mundial em 1983, o Mosteiro da Batalha é o terceiro monumento histórico mais visitado de Portugal – só fica atrás do Mosteiro dos Jerónimos e da Torre de Belém, ambos em Lisboa. O lugar é fantástico, merecedor de, … Continuar lendo

SANTO GUERREIRO

Quem aparece montado e empunhando sua espada bem em frente ao Mosteiro da Batalha é um santo: São Nuno de Santa Maria. Foi ele quem, no dia 14 de agosto de 1385, liderou o exército português contra os castelhanos na Batalha de Aljubarrota. Sua vitória assegurou a independência de Portugal frente ao Reino de Castela e criou as condições necessárias para a legitimação da Dinastia de Avis, iniciada por D. João I. Em agradecimento aos serviços prestados, o rei concedeu-lhe títulos. E muitas, muitas terras. Nuno Álvares Pereira, que àquela altura nem sonhava virar santo, tornou-se senhor de quase a metade do território português. O fiel servidor de D. João é citado nada menos que 14 vezes por Camões no poema épico Os Lusíadas. Foi canonizado pelo papa Bento XVI em 2009.

A estátua do comandante Nuno Álvares Pereira, que virou santo em 2009

A estátua do comandante Nuno Álvares Pereira, que virou santo em 2009

© Foto: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados

MOSTEIRO DA BATALHA

MOSTEIRO DA BATALHA

Declarado patrimônio da humanidade em 1983, o Mosteiro da Batalha – ou Convento de Santa Maria da Vitória – é uma das jóias arquitetônicas portuguesas. Quem ordenou sua construção foi o rei D. João I, como agradecimento ao triunfo dos … Continuar lendo