Cap 4 – BATALHA (NAVE E CLAUSTRO)

Destas oito imagens do Mosteiro da Batalha, devem sobrar apenas duas. Quais você escolheria? Detalhe: elas não podem ser do mesmo ambiente. Uma tem de retratar, obrigatoriamente, a nave, e a outra, o claustro. Tenho as minhas preferidas, por óbvio, … Continuar lendo

IGREJA DO SALVADOR

No mapa do pequeno centro histórico de Elvas, entregue a todo mundo que visita o centro de informações turísticas da cidade, estão marcadas nada menos que 15 monumentos religiosos, entre capelas, igrejas e conventos. Não conheci todos eles, mas quase. … Continuar lendo

FUNCHAL

FUNCHAL

Volto esta semana à Madeira não para mostrar a Floresta Laurissilva, patrimônio da humanidade, mas para publicar algumas fotos de sua maior cidade: o Funchal, um lugar impregnado de história. Trata-se do primeiro núcleo urbano português criado fora do continente. … Continuar lendo

A TORRE-LANTERNA DA SÉ

Zimbório. Segundo o Grande Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, “cobertura ou parte da cobertura de um edifício, de forma geralmente hemisférica, frequentemente dotada de abertura no ápice e lanternim; cúpula, domo (apresenta, por vezes, base poligonal, raramente elíptica, e perfil apontado e/ou bulboso)”. … Continuar lendo

DOURO DE BARCO

É perfeitamente possível conhecer o Douro navegando. Você pode embarcar num navio de cruzeiro na cidade do Porto e ir até a fronteira com a Espanha. Acho bacana, uma experiência legal de ter no currículo. Sem contar a mudança de perspectiva. Vista de um barco no meio do rio, a paisagem é outra. Tem também a curtição de passar por uma ou mais barragens no caminho, como a da Valeira (32 metros de desnível) e a do Pocinho (20 metros). Mas eu não embarcaria num cruzeiro muito longo – há opções de até 8 dias. Um passeio de dia inteiro entre Peso da Régua e Barca d´Alva, por exemplo, está de bom tamanho.

Navio de Cruzeiro no Douro Superior, em frente aos vinhedos da Quinta do Vale Meão

Navio de cruzeiro no Douro Superior, quase em frente aos vinhedos da Quinta do Vale Meão

Na Barragem da Valeira, em São João da Pesqueira, os barcos vencem um desnível de 32 m

© Fotos: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados