BRASILEIROS EM PORTUGAL

Foi notícia recentemente no portal Portugal Digital: o número de turistas brasileiros por lá cresceu 55% no primeiro semestre deste ano, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE). Com isso, o Brasil volta a registrar a maior taxa de crescimento … Continuar lendo

Cap 6 – CONVENTO DE CRISTO (CHAROLA E MURALHA)

Estas são 14 das 26 fotos do Convento de Cristo de que mais gosto, clicadas em duas visitas a Tomar, 2009 e 2014. Preciso reduzi-las a um conjunto de, no máximo, cinco imagens. Quais você escolheria? De novo, peço ajuda … Continuar lendo

CONVENTO DE CRISTO EM 5 FOTOS

Um passeio por alguns dos lugares mais fascinantes do Convento de Cristo, em Tomar. Já estive três vezes nesse espetacular monumento. E pretendo voltar outras tantas. Aproveito a publicação destas cinco imagens, todas inéditas aqui no blog, para reproduzir um … Continuar lendo

CONVENTO DE CRISTO EM P&B II

Uma amostra do sistema defensivo do Castelo dos Templários, em Tomar, com suas muralhas e sua torre de menagem.

A muralha do castelo templário: fundado em 1160 pelo grão-mestre Gualdim Pais

A muralha do castelo templário: fundado em 1160 pelo grão-mestre Gualdim Pais

Aqui vai um pouco de história, em texto extraído do website do Convento de Cristo:

“Tomar nasce da doação do Castelo de Ceras e seu termo aos templários, por D. Afonso Henriques em 1159. O território era atravessado a sul pelo Rio Tomar, com um fértil vale limitado a poente por uma cadeia de colinas de relevo acentuado. Foi numa dessas colinas, sobranceira ao rio, que Mestre D. Gualdim Pais, fundou, em 1160, o castelo e a vila de Tomar.”

Xxxxxx xx xxxx x xxx xx xxxxxx xx x xxxx xxxxxxx

Vista parcial da alcáçova e sua torre de menagem: erguidas na parte mais elevada da colina

“O castelo era constituído por uma cintura de muralhas que rodeavam o cabeço. Duas cortinas de muralha dividiam-no interiormente em três recintos. Na parte sul da fortaleza, situava-se o recinto vila, onde hoje está o laranjal. A norte, na parte mais elevada da colina foi estabelecida a casa militar dos templários, flanqueada a nascente pela casa do mestre, a alcáçova com a sua torre de menagem, e a poente pelo oratório dos cavaleiros, a Charola. Separava estes dois recintos um terceiro, o vasto terreiro do castelo, hoje espaço ajardinado.”

Xxxxxx xx xxxx x xxx xx xxxxxx xx x xxxx xxxxxxx

De novo, o conjunto alcáçova e torre de menagem: uma obra magnífica de engenharia militar

© Fotos: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados

CONVENTO DE CRISTO EM P&B

A Charola e a Janela do Capítulo, provavelmente os dois maiores highlights do Convento de Cristo, em Tomar.

Charola: mais bem preservado monumento templário da Europa

Charola: o mais preservado monumento templário da Europa

Janela do Capítulo: máxima expressão do estilo manuelino

Janela do Capítulo: máxima expressão do estilo manuelino

No website do monumento, a gente lê o seguinte:

“O Castelo de Tomar e Convento de Cristo, sede das ordens religiosas e militares do Templo e de Cristo, foi classificado como património da humanidade e inscrito na lista do património mundial da Unesco em 1983. Os critérios que presidiram à sua classificação tiveram em conta, particularmente, a Charola dos templários e a invulgar janela ocidental da nave manuelina, cuja construção amplia e prolonga para fora do castelo a própria rotunda, primitivo oratório dos cavaleiros.”

“A Charola, para além de ser um dos melhores entre os raros exemplares existentes de igreja em rotunda, simboliza o mundo medieval europeu, das cruzadas e da defesa da fé. A janela manuelina, na originalidade da sua gramática decorativa, constitui a primeira síntese das artes europeia e oriental.”

© Fotos: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados

O REFEITÓRIO DE CRISTO

O REFEITÓRIO DE CRISTO

Diante da exuberância de atrações como a Charola, o Claustro Principal ou a Janela do Capítulo, poucos são os visitantes do Convento de Cristo que se ocupam deste espaço por mais do que alguns poucos minutos. Pois comigo acontece o oposto. … Continuar lendo

UMA VISITA AO CONVENTO DE CRISTO

Mais um episódio da série Visita Guiada, desta vez sobre o castelo e a charola do Convento de Cristo. Quem revela os segredos da fortaleza templária é o historiador Paulo Pereira, professor da Faculdade de Arquitetura de Lisboa e especialista em arte portuguesa.

O CORAÇÃO DA ORDEM DO TEMPLO

Eis a charola do Convento de Cristo, em Tomar, o mais bem preservado monumento templário em toda a Europa. Assim, vista de fora, não dá para perceber direito, mas trata-se de uma rotunda octogonal, claramente inspirada na da Igreja do Santo Sepulcro, em Jerusalém. Tem a altura de um prédio de três andares. E sua estrutura ainda é a original, do século 12.

A charola vista do lado de fora do Convento de Cristo: rotunda octogonal com a altura de um prédio de três andares

A charola vista de fora: rotunda octogonal com a altura equivalente a de um prédio de três andares

O site oficial do convento descreve assim o oratório: “A charola do Convento de Cristo, célebre por ser, na sua origem, um dos mais extraordinários exemplos da arquitectura templária, pertence à campanha de obras românica e gótica, dos séculos 12 e 13. Trata-se de um edifício poligonal, com oito faces no tambor central, desdobradas em 16 faces no exterior, que pretende reproduzir idênticos edifícios de planta centralizada, conhecidos dos templários e inspirados na Igreja do Santo Sepulcro de Jerusalém. Concluída no século 12, possuía porta a nascente que se manteve em funcionamento até a reforma manuelina.”

Visitantes diante do oratório: inspirado no Santo Sepulcro

Visitantes diante do oratório: inspirado no Santo Sepulcro

“Sob o impulso do Infante D. Henrique, quando este foi governador da Ordem de Cristo (1420-1460), procedeu-se à primeira alteração do edifício, com abertura de dois tramos a poente, de modo a instalar-se aí o coro e a tribuna. Desta época datará também o tubo de órgão de madeira e couro, ainda visível na parede norte da charola.”

A decoração é dos séculos 15 e 16: obra promovida por D. Manuel

Decoração dos séculos 15 e 16: obra promovida por D. Manuel

“A maior campanha de obras é promovida mais tarde por D. Manuel I, entre 1495 e 1521, durante a qual se rasgam completamente dois dos 16 tramos da parede externa, abrindo o espaço a ocidente, através do grande arco triunfal que unirá este espaço à nova igreja manuelina. É desta época, também, o programa decorativo que acentua a riqueza do local. O enriquecimento do programa iconográfico da charola, transformada em capela-mor da nova igreja, incluiu escultura, pintura sobre madeira e sobre couro, pintura mural e estuques.”

Atores no papel de templários: coração da Ordem do Templo

Atores no papel de templários: coração da Ordem do Templo

© Fotos: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados