ENTRE AS MAIS BONITAS DA EUROPA

Esta semana, foi notícia em todo canto uma seleção feita pela CNN que aponta Monsaraz, no Alentejo, como uma das vilas em colina mais bonitas da Europa. Estive lá em 2015 e posso assegurar que os editores de turismo do … Continuar lendo

PRESS TRIP 2015 – DIA 17 – ALENTEJO

Évora. Quinta-feira, 8 de outubro. Pulei da cama às 5 da manhã novamente. Dessa vez, eu não deixaria o nascer do sol em Monsaraz escapar. Percorri de novo os 50 e poucos quilômetros que me separavam da vila – sem … Continuar lendo

ARTE PRÉ-HISTÓRICA

Uma das minhas gravuras favoritas em Penascosa: a cabra-montês – ou íbex ibérico – da Rocha 5. Esse é um dos bichos que mais foram representados pelos artistas paleolíticos do Vale do Côa – ao lado do cavalo e do auroque. “A importância do Côa se revela não só pelo número de gravuras”, diz o arqueólogo António Martinho Baptista, “mas também pela qualidade estética delas”.

A cabra da Rocha 5 de Penascosa: uma das espécies mais retratadas pelos habitantes pré-históricos do Côa

A cabra da Rocha 5 de Penascosa: uma das espécies mais retratadas no Vale do Côa

© Foto: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados

DOURO DE BARCO

É perfeitamente possível conhecer o Douro navegando. Você pode embarcar num navio de cruzeiro na cidade do Porto e ir até a fronteira com a Espanha. Acho bacana, uma experiência legal de ter no currículo. Sem contar a mudança de perspectiva. Vista de um barco no meio do rio, a paisagem é outra. Tem também a curtição de passar por uma ou mais barragens no caminho, como a da Valeira (32 metros de desnível) e a do Pocinho (20 metros). Mas eu não embarcaria num cruzeiro muito longo – há opções de até 8 dias. Um passeio de dia inteiro entre Peso da Régua e Barca d´Alva, por exemplo, está de bom tamanho.

Navio de Cruzeiro no Douro Superior, em frente aos vinhedos da Quinta do Vale Meão

Navio de cruzeiro no Douro Superior, quase em frente aos vinhedos da Quinta do Vale Meão

Na Barragem da Valeira, em São João da Pesqueira, os barcos vencem um desnível de 32 m

© Fotos: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados