ARCOS DE GIRALDO

Esses são os arcos de Giraldo, uma das praças mais legais que eu conheço – ainda que ela nunca apareça nos rankings que as revistas de turismo publicam de vem em quando. Todos, absolutamente todos os caminhos de Évora convergem para este lugar. E dizem que sempre foi assim, desde a fundação da cidade, no início da década de 1570.

Évora

Arcos da Praça do Giraldo, em Évora

A fonte barroca de Giraldo: oito bicas, cada qual associada a uma rua

Fonte barroca de Giraldo

© Fotos: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados

MEGA-AQUEDUTO

O Aqueduto da Amoreira, construído entre os anos de 1495 e 1620, também faz parte do patrimônio histórico de Elvas tombado pela Unesco. Com 8,5 quilômetros de extensão e mais de 840 arcos sobrepostos, ele é o maior aqueduto da Península Ibérica. Funciona até hoje, levando água da Nascente da Amoreira, na Serra do Bispo, até o centro da cidade. Seu primeiro mestre de obras foi o arquiteto Francisco de Arruda, responsável também pela construção do Aqueduto da Água de Prata, em Évora.

Com 8,5 km de extensão, o Aqueduto da Amoreira é 11 vezes maior que o de Segóvia, na Espanha

Com 8,5 km de extensão, o Aqueduto da Amoreira é 11 vezes maior que o de Segóvia, na Espanha

Com mais de 840 arcos sobrepostos, o aqueduto chega a 31 metros de altura

Ele é formado por mais de 840 arcos sobrepostos e passa dos 30 metros de altura

© Fotos: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados