RIBACÔA

Talvez você nunca tenha ouvido falar dessa região de Portugal. Nesse caso, recomendo fortemente que se informe sobre ela e passe a considerá-la em sua próxima visita ao país. Estive lá em 2014. Desde então, vivo fazendo planos de retornar. … Continuar lendo

A LISTA

Sabe quais são os lugares de Portugal que podem virar patrimônio da humanidade em breve? A lista indicativa do país ao título concedido pela UNESCO foi definida há quase um ano, em maio de 2016, e é composta de 22 bens. … Continuar lendo

OS POSTS MAIS VISTOS EM 2016

1º – COLÉGIO DO ESPÍRITO SANTO 2º – UM DOS MONUMENTOS MAIS ESPETACULARES DE PORTUGAL 3º – ROTA DOS VINHOS DO ALENTEJO 4º – ONDE NASCEU O PRIMEIRO REI 5º – A JANELA MAIS IMPORTANTE DE PORTUGAL 6º – MONSARAZ 7º … Continuar lendo

QUEM NÃO CONHECE UM ALMEIDA?

Taí um sobrenome comum, não é verdade? Quase tão popular quanto Pereira ou Oliveira. Só eu conheço uns 3 ou 4 Almeidas, talvez mais. Sem contar os de domínio público, tipo Aracy de Almeida. Pois foi aqui, nesta vila do centro de Portugal, que o sobrenome nasceu. A história começa em 1190, com Dom Payo Guterres Amado derrotando os mouros e tomando o castelo que eles chamavam de Al-Mêda. Sob domínio português, virou Castelo de Almeida, é lógico. O fidalgo tornou-se senhor da fortaleza, por vontade do rei, e ainda levou de brinde o apelido de Almeidão. Mais tarde, seus herdeiros adotariam Almeida como nome de família. E foi assim, há mais ou menos 800 anos, que surgiu um dos sobrenomes mais corriqueiros nos países de língua portuguesa – especialmente Portugal e Brasil.

XXX XXX

A vila de Almeida, no Distrito da Guarda: pouco mais de 7 mil habitantes

XXXX XXXX

Casario histórico: de Castelo Rodrigo ou Foz Côa, chega-se à vila pela estrada EN 332

O site Aldeias Históricas resume assim a história da vila: “Almeida terá tido origem na migração dos habitantes de um castro lusitano, localizado a norte do lugar do Enxido da Sarça, ocupado em 61 a.C. pelos romanos, e depois pelos povos bárbaros. Dada sua situação em planalto, os árabes chamaram-na Al-Mêda (A Mesa), Talmeyda ou Almeydan, tendo construído um pequeno castelo (séc. 8-9).”

XXXX XXXX

Céu anunciando tempestade: aqui, tomei uma das maiores chuvas da minha vida

XXXX XXXX

Cena das mais comuns em Almeida: para quem gosta de gatos, a vila é um prato cheio

“No período da Reconquista, os cristãos tomaram-na definitivamente em 1190 e foi sucessivamente disputada a Leão, passando à posse portuguesa com o Tratado de Alcanizes, em 1297. Recebeu foral de D. Dinis (1296), que reconstruiu o castelo, e foral novo de D. Manuel (1510). Junto ao castelo de planta rectangular e quatro torres circulares, cresceu o núcleo medieval limitado pelas muralhas, cujo vestígio se vê na Porta do Sol, traçado que a Rua dos Combatentes acompanha e que define o velho burgo.”

XXXX XXXX

A vila retratada no Livro das Fortalezas, de 1510: castelo de planta retangular…

XXXX XXXX

…e quatro torres circulares em torno do qual cresceu o núcleo urbano

“Durante a Guerra dos Sete Anos (1756-1763), Almeida voltou à posse de Espanha, tendo retornado ao domínio português em 1763. Nas lutas liberais, tomou partido por D. Miguel entre 1829 e 1832, acabando por capitular após duras lutas fratricidas, que destruíram as muralhas – reconstruídas a partir de 1853. Em 1927, saiu de Almeida o último Esquadrão de Cavalaria, perdendo, desde então, a actividade militar que, durante séculos, foi a razão essencial da sua existência.”

As muralhas: monumento nacional desde 1928, elas formam...

Muralhas: monumento nacional desde 1928, elas formam…

...uma das mais espetaculares defesas abaluartadas da Europa

…uma das mais espetaculares defesas da Europa

© Fotos: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados

Reproduções: Wikimedia Commons

ALDEIAS HISTÓRICAS

Esta galeria contém 6 imagens.

São 12 as localidades que integram o roteiro Aldeias Históricas de Portugal. Castelo Rodrigo é só uma delas. E outras quatro ficam bem perto, a não mais do que 65 quilômetros de distância: Almeida, Castelo Mendo, Marialva e Trancoso. Todas são … Continuar lendo

ALMEIDA

ALMEIDA

Um dos privilégios ao alcance de quem se hospeda em Castelo Rodrigo é a possibilidade de visitar pelo menos algumas das outras 11 localidades que integram o roteiro Aldeias Históricas de Portugal. Entre elas está Almeida, cuja praça-forte é candidata … Continuar lendo

CASTELO RODRIGO

CASTELO RODRIGO

Foi esse lugarzinho incrível – uma aldeia histórica a 15 quilômetros da fronteira com a Espanha – que eu usei como base para explorar a região do Vale do Côa e suas gravuras rupestres. A história de Castelo Rodrigo é fascinante. Vai … Continuar lendo

PRESS TRIP 2014 – DIAS 16 a 20

Acabou. Estou no Aeroporto da Portela, em Lisboa, aguardando o vôo que vai me levar de volta ao Brasil. A viagem foi fantástica. No total, oito patrimônios mundiais visitados (incluindo minhas rápidas passagens pela Torre de Belém, pelo Mosteiro dos Jerónimos e pelo Douro). Pra valer de verdade, fotografei cinco: Coimbra, Côa, Convento de Cristo, Mosteiro da Batalha e Mosteiro de Alcobaça. Sem contar aquilo que chamo de patrimônio associado, como a Reserva da Faia Brava e as aldeias históricas de Castelo Rodrigo, Marialva, Trancoso, Almeida e Castelo Mendo. Lugares incríveis, sobre os quais ainda vou escrever muito aqui no blog.

Os quatro últimos dias da viajem foram sensacionais, de muito sol e céu azul. Tratei de aproveitá-los ao máximo. Foram dois dias às voltas com o Convento de Cristo e outros dois divididos entre a Batalha e Alcobaça. Aguardem as fotos (não aquelas que andei publicando nas redes sociais, feitas com um iPhone). Vou demorar algumas semanas para processar todas as imagens. À medida em que elas forem sendo editadas, serão imediatamente mostradas aqui.

Agradeço a todos que acompanharam os posts e torceram por mim ao longo das três semanas que se encerram hoje. E a todo mundo do Turismo do Centro de Portugal pela generosidade. António Belo foi o cara. Como já disse antes, um anjo da guarda que não mediu esforços para facilitar o meu trabalho. Devo minha gratidão também à Marli Monteiro, à Ana Berliner, à Catarina Freire e ao Paulo Machado. Sem eles, nada teria acontecido. E a todo o pessoal de apoio em cada um dos lugares pelos quais passei. Muito obrigado, gente. Espero rever cada um de vocês muito em breve. Até a volta!

logo portugal INSTA.png