Cap 5 – ALCOBAÇA

Estas são as 10 fotos do Mosteiro de Alcobaça de que mais gosto, clicadas em duas visitas: 2009 e 2014. Entrariam todas no livro que pretendo publicar, sobre os patrimônios mundiais portugueses e suas conexões com a história do Brasil. Mas tenho certeza de que metade delas ficará de fora. É que farei pelo menos mais uma visita ao mosteiro, de dois ou três dias, possivelmente em 2018. E dessa viagem, pode acreditar, sairá o verdadeiro corpo deste capítulo. Estimo, sem muito medo de errar, que 2/3 das imagens que formarão o conjunto final ainda nem foram feitas. A ver.

1 – Vista do castelo (2009)

2 – Vista do castelo (2009)

3 – Vista do castelo (2014)

No website da Direção-Geral do Património Cultural, lê-se assim sobre o mosteiro:

“Uma das primeiras fundações monásticas cistercienses em território português, o Mosteiro de Alcobaça tornou-se a principal casa desta ordem religiosa, graças a uma continuada política de proteção régia, iniciada pelo primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques. As dependências medievais ainda conservadas fazem do Mosteiro de Alcobaça um conjunto único no mundo, a que acrescem as edificações posteriores, dos séculos 16 a 18, como importante testemunho da evolução da arquitetura portuguesa.”

4 – O guarda-chuva amarelo (2009)

5 – Ao telemóvel (2009)

“A fundação da Abadia de Santa Maria de Alcobaça e respetiva Carta de Couto datam de 8 de abril de 1153. Os domínios da Ordem de Cister ficam assim consagrados. Os do Reino de Portugal, com a conquista das cidades de Santarém e de Lisboa, em 1147, avançaram para sul em direção à Linha do Tejo. Este facto obrigava a um povoamento rápido e eficaz para que a expansão cristã continuasse para sul. A proteção dos Coutos foi entregue à milícia da Ordem do Templo, isentando-os, tanto quanto possível, das investidas militares dos mouros. O ponto fulcral e irradiador de toda esta dinâmica era a própria abadia. A respetiva construção foi iniciada em 1178. Esta data está envolta em grande significado estratégico: quatro anos depois, São Bernardo foi canonizado.”

6 – Nave central (2014)

7 – Deambulatório (2014)

“Será, decerto, uma das primeiras abadias da ordem a ser construída já com esta intenção. A importância do Mosteiro de Alcobaça evoluiu num crescendo cultural, religioso e ideológico. A sua monumentalidade é tanto mais evidente quanto mais límpida e austera é a sua arquitetura. Trata-se, de resto, do primeiro ensaio de arquitetura gótica em Portugal: um modelo que ficou sem imediata continuidade e que não foi reproduzido a não ser muito mais tarde, funcionando como um polo quase isolado, uma joia branca na paisagem. Está inscrito na lista do património mundial da UNESCO desde 1983.”

8 – Cozinha (2014)

9 – Sala dos Monges (2014)

Agora eu pergunto: se tivesse de descartar metade dessas fotos, quais seriam as cinco que você preservaria? Quero saber, deixe sua sugestão. Garanto que vou levá-la em conta na edição final de imagens para o livro.

10 – A família (2014)

© Fotos: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados

Anúncios

3 pensamentos sobre “Cap 5 – ALCOBAÇA

  1. AS CINCO FOTOS COM MAIS DESTAQUE EU ESCOLHIA AS Nº1- 2- 6- 7- 8 e ainda sinto falte de mais uma a dos cercofagos do Rei dom Diniz e da rainha Santa Isabel que representam uma pagina riquíssima da historia Portuguesa isso opinião minha

  2. As fotos que mais gostei são 1, 2, 4, 9 e 10. É um lugar lindo que tive o prazer de conhecer em 2014. É lá que estão sepultados dona Inês de Castro e dom Pedro, não? Uma bela história de amor com um final nada feliz. Um abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s