AUSTERIDADE MÁXIMA

A nave principal do Mosteiro de Alcobaça, com seus imponentes 100 metros de extensão e 20 metros de pé direito. O ambiente é austero, muito austero. Quase não há ornamentos e imagens. Explica-se: os monges cistercienses, a exemplo dos beneditinos, nunca foram chegados à ostentação. Ao contrário. “Nossa maneira de viver é de abnegado serviço, de humildade, de pobreza voluntária”, pregava São Bernardo de Claraval (1090-1153), talvez a figura mais importante na história da Ordem de Cister. Esse despojamento arquitetônico que se observa na nave central do mosteiro é reflexo da obediência a esses princípios.

Nave central de Alcobaça: 100 metros de extensão e 20 de pé direito

Nave central de Alcobaça: 100 metros de extensão

© Foto: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados

Anúncios

2 pensamentos sobre “AUSTERIDADE MÁXIMA

  1. Pingback: O CLAUSTRO DO SILÊNCIO | Portugal - Patrimônios da Humanidade

  2. Pingback: O CLAUSTRO DO SILÊNCIO | Portugal - Patrimônios da Humanidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s