FORTALEZA TEMPLÁRIA

Quem visita o Convento de Cristo sem conhecer sua história deve achar tudo muito estranho logo de cara. Afinal, é essa muralha defensiva que recepciona os visitantes. Até se deparar com a igreja, lá dentro do complexo, a impressão que se têm é a de estar entrando em uma fortaleza. E é isso mesmo: muito mais que um convento, aquilo tudo foi um forte – o castelo templário da Ordem de Cristo.

A muralha defensiva que recebe os visitantes logo na entrada do convento

A muralha defensiva que recebe os visitantes logo na entrada do convento

Reproduzo aqui a descrição do monumento feita pela RTP em sua plataforma educativa.

“Na portuguesa terra dos Templários há um tesouro escondido, túneis subterrâneos, mitologias e lendas que têm nestes cavaleiros os protagonistas principais. Mistérios à parte, está nos livros que os Templários participaram nas lutas da Reconquista e fizeram de Tomar a sua fortaleza. Em 1160 começam a construir o castelo e, dentro dele, um convento onde cada pedra conserva diferentes capítulos da história de Portugal.

A entrada é feita através de um pórtico, todo ele uma escultura da autoria de João e Diogo de Castilho. Na igreja primitiva, erguida por vontade do mestre templário Gualdim Pais, encontra-se o oratório ou a Charola, raro exemplar em forma octogonal, onde os fiéis andavam à volta em oração. Com o rei D. Manuel, o santuário é engrandecido em esculturas, pinturas (Gregório Lopes) e talha dourada. Celebram-se as glórias da expansão marítima com novas construções e decoração exuberantes em estilo manuelino, que tem na famosa Janela do Capítulo a sua máxima expressão. No século 16, D. João III manda construir o claustro maior, obra renascentista mais importante da sua campanha.

Entretanto, em 1312, já a Ordem dos Templários havia sido transformada nos Cavaleiros de Cristo, tutelados pelo infante D. Henrique e que deles vai receber valiosos conhecimentos para a epopeia ultramarina. O navegador ordena a expansão do conjunto monacal. Fica, assim, o castelo a ser Templário e o mosteiro a pertencer à Ordem de Cristo.

Construído entre os séculos 12 e 18, este convento cruza tempos e linguagens artísticas que viajam pelo românico, gótico, manuelino, renascimento, barroco. Em 1983, a Unesco classificou-o Património Mundial.”

© Foto: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados

Anúncios

Um pensamento sobre “FORTALEZA TEMPLÁRIA

  1. Pingback: A JANELA MAIS IMPORTANTE DE PORTUGAL | Portugal - Patrimônios da Humanidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s