BONITO POR NATUREZA

BONITO POR NATUREZA

De volta ao Vale do Côa, mas sem gravuras rupestres. Desta vez, quero mostrar um pouco da beleza do lugar. Começando pela foz do rio que lhe empresta o nome. O que se vê na imagem é o Côa desembocando no … Continuar lendo

NAVIO DE PEDRA

Eis a Torre de Belém em horário de maré alta. Isso mesmo: embora fique em um rio, o monumento está sujeito ao movimento das marés. É que o oceano Atlântico fica logo ali, a menos de cinco quilômetros de distância. A variação entre a cheia e a vazante no estuário do Tejo pode passar dos três metros. Não se surpreenda, portanto, ao ver a torre completamente cercada de água pela manhã e reencontrá-la unida à margem direita algumas horas mais tarde.

A seguir, mais um trecho de texto extraído da plataforma educativa da RTP.

“A pequena fortaleza, considerada um dos mais originais edifícios de arquitetura militar do reinado de D. Manuel, é obra de Francisco de Arruda, que a tem pronta em seis anos, em 1520. Projetada para defender a barra da cidade, funciona como um navio de pedra, equipado com artilharia na zona térrea para fazer fogo rasante e cruzado com a Torre Velha, situada na margem sul do rio. Mas, ao longo dos tempos, a fortificação irá desempenhar funções de controle aduaneiro, vai ser farol, telégrafo e até prisão (por sinal, bem terrível).

A torre de menagem, estrutura medieval, destaca-se do conjunto. Ladeada pelos símbolos do rei, a esfera armilar e a cruz de Cristo, era a casa do governador. O varandim é cercado de guaritas, com cúpulas exóticas, inspiradas no oriente. A decoração que envolve e sobressai nos três pisos do edifício é própria do estilo manuelino, com os elementos naturalistas em grande destaque.”

Torre de Belém: um edifício militar dos mais originais

Torre de Belém: um edifício militar dos mais originais

© Foto: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados

SÍMBOLO DE PODER

SÍMBOLO DE PODER

Visitantes deixando a Torre de Belém, em Lisboa, num dia de outono em que a luz parecia péssima para fotografar. O horário, em tese, também era ruim: duas e meia da tarde. Mas o cenário era divino. O monumento à minha … Continuar lendo

CORRESPONDÊNCIA PROFÉTICA

Detalhes do Portal Sul da Igreja Manuelina, Convento de Cristo, Tomar. Iniciada em 1515, essa fachada é obra de João de Castilho, considerado o maior arquiteto português no século 16 – e um dos grandes da Europa no seu tempo. A iconografia usada no portal, segundo especialistas, ilustra a correspondência profética entre o Antigo e o Novo Testamento.

Portal Sul da Igreja Manuelina, iniciado em 1515 pelo arquiteto João de Castilho

Portal Sul da igreja, iniciado em 1515 pelo arquiteto João de Castilho

Um pouco mais de perto, para ver com algum grau de detalhe uma das imagens do portal

Um pouco mais de perto, para ver com algum detalhe uma das imagens do portal

© Fotos: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados

JERÓNIMOS + CONVENTO DE CRISTO

Documentário da RTP2 sobre o Convento de Cristo. Na verdade, os 20 primeiros minutos nada têm a ver com o convento. Pule-os se quiser ir direto à história da fortaleza templária. Mas eu recomendo que você assista ao vídeo desde o início. A primeira parte é o episódio da série Património Mundial dedicado ao Mosteiro dos Jerónimos.

AQUEDUTO DOS PEGÕES

AQUEDUTO DOS PEGÕES

Outro dia, fiz referência ao “embasbacante” Aqueduto da Amoreira, em Elvas. Pois aqui vai outro gigante, ainda mais incrível que o alentejano. O Aqueduto dos Pegões Altos, em Tomar, foi construído entre o fim do século 16 e o início … Continuar lendo

A JANELA MAIS IMPORTANTE DE PORTUGAL

Eis a igreja do Convento de Cristo – sólida, maciça, algo intimidadora. E, na foto seguinte, a Janela do Capítulo, citada em um dos posts anteriores. Ela é considerada a expressão máxima da arquitetura manuelina. Tem esse nome porque fica no edifício que um dia foi a Casa do Capítulo, local onde aconteciam as reuniões gerais de freires e cavaleiros da Ordem de Cristo. Perceba que bem lá no alto, acima até do brasão das Armas de Portugal, está a cruz dos templários. Encomendada por D. Manuel I e desenhada por Diogo de Arruda, essa janela tem mais de 500 anos. Vale uma semana inteira de posts, um para cada detalhe da sua ornamentação. Ainda farei isso aqui.

A igreja do Convento de Cristo, algo intimidadora de tão sólida

A igreja do Convento de Cristo, em Tomar: algo intimidadora de tão sólida e maciça

A Janela do Capítulo, máxima expressão da arquitetura manuelina

A Janela do Capítulo: pura arquitetura manuelina

© Fotos: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados

10 MINUTOS DE HISTÓRIA

Sabia que a primeira torre de menagem construída em Portugal fica no Convento de Cristo? E que claustro principal do monumento é considerado uma obra-prima do Renascimento? Tudo isso – e muito mais – é explicado neste documentário produzido em 2011 pelo IGESPAR (Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico).

FORTALEZA TEMPLÁRIA

FORTALEZA TEMPLÁRIA

Quem visita o Convento de Cristo sem conhecer sua história deve achar tudo muito estranho logo de cara. Afinal, é essa muralha defensiva que recepciona os visitantes. Até se deparar com a igreja, lá dentro do complexo, a impressão que se … Continuar lendo