PENASCOSA, VALE DO CÔA

PENASCOSA, VALE DO CÔA

Rocha 6 do sítio arqueológico de Penascosa, no Vale do Côa. Essas gravuras – dois cavalos e dois cabritos-monteses – são do Paleolítico Superior. Foram feitas há pelo menos 10 mil anos. E fazem parte de um dos mais importantes conjuntos … Continuar lendo

SANTO GUERREIRO

Quem aparece montado e empunhando sua espada bem em frente ao Mosteiro da Batalha é um santo: São Nuno de Santa Maria. Foi ele quem, no dia 14 de agosto de 1385, liderou o exército português contra os castelhanos na Batalha de Aljubarrota. Sua vitória assegurou a independência de Portugal frente ao Reino de Castela e criou as condições necessárias para a legitimação da Dinastia de Avis, iniciada por D. João I. Em agradecimento aos serviços prestados, o rei concedeu-lhe títulos. E muitas, muitas terras. Nuno Álvares Pereira, que àquela altura nem sonhava virar santo, tornou-se senhor de quase a metade do território português. O fiel servidor de D. João é citado nada menos que 14 vezes por Camões no poema épico Os Lusíadas. Foi canonizado pelo papa Bento XVI em 2009.

A estátua do comandante Nuno Álvares Pereira, que virou santo em 2009

A estátua do comandante Nuno Álvares Pereira, que virou santo em 2009

© Foto: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados

MOSTEIRO DA BATALHA

MOSTEIRO DA BATALHA

Declarado patrimônio da humanidade em 1983, o Mosteiro da Batalha – ou Convento de Santa Maria da Vitória – é uma das jóias arquitetônicas portuguesas. Quem ordenou sua construção foi o rei D. João I, como agradecimento ao triunfo dos … Continuar lendo

A FORTALEZA DO TEJO

Localizada na margem norte do Tejo, quase na desembocadura do rio, a Torre de Belém nasceu como fortaleza militar, mas nunca desempenhou um papel muito importante na defesa de Lisboa. Ao longo dos séculos, acabou funcionando mais como símbolo de glória e poder da Coroa Portuguesa do que como peça integrante de um sistema defensivo. Durante os reinados de Filipe II (1580-1598) e João IV (1640-1656), seus paióis foram convertidos em masmorras para presos políticos. Mais tarde, funcionou também como registro aduaneiro, posto telegráfico e farol. Até virar, no século 20, a atração turística de Portugal mais conhecida mundo afora.

A Torre de Belém já foi usada como prisão, farol e posto de telégrafo

A Torre de Belém já foi usada como prisão e posto de telégrafo

© Foto: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados

TORRE DE BELÉM

TORRE DE BELÉM

Detalhe da Torre de Belém, em Lisboa, incluída na lista dos patrimônios mundiais em 1983. Desenhada pelo arquiteto Francisco Arruda, ela foi construída entre os anos de 1514 e 1520 bem perto da praia de onde saíram, em 1497, as … Continuar lendo

PONTE LUÍS I

Ponte Luís I com a cidade do Porto ao fundo. Projetada pelo engenheiro Teófilo Seyrig, discípulo de Gustave Eiffel, ela foi inaugurada em 1886. É enorme, tem quase 400 metros de extensão. E seu arco ainda é considerado o maior do mundo, pelo menos entre os de ferro forjado.

Antes da Luís I, a ligação entre o Porto, na margem direita do Douro, e Vila Nova de Gaia, do outro lado do rio, era feita pela D. Maria II, uma ponte pênsil desenhada pelos engenheiros Bigot e Mellet. Ela tinha 170 metros de comprimento, ficava 10 metros acima do nível do rio e era sustentada por 4 obeliscos (ou pilares de cantaria) que estão lá até hoje. Isso foi tudo o que restou da antiga ponte, demolida em outubro de 1887 com apenas 44 anos de serviços prestados.

Inaugurada em 1886, a Ponte Luís I hoje é um dos símbolos da cidade do Porto

Inaugurada em 1886, a Ponte Luís I hoje é um dos símbolos da cidade do Porto

Antes dela, a ligação com Vila Nova de Gaia era feira por uma ponte pênsil

Antes dela, a ligação com Vila Nova de Gaia era feira por uma ponte pênsil

© Foto: Eduardo Lima / Walkabout – Todos os direitos reservados

Ilustração: Porto24 / DR

IGREJA DE NOSSA SENHORA DO CARMO

IGREJA DE NOSSA SENHORA DO CARMO

Igreja da Ordem Terceira de Nossa Senhora do Carmo, no centro do Porto. De estilo barroco/rococó, ela foi construída na segunda metade do século 18, entre 1756 e 1768. É considerada um dos mais importantes monumentos históricos de Portugal. Sua fachada … Continuar lendo