A beleza do Douro e Côa pela lente de quatro fotógrafos portugueses

Os fotógrafos Duarte Belo, Egídio Santos, Jaime António e Virgílio Ferreira aceitaram o desafio da Fundação Côa Parque e do Museu do Douro de “construir um arquivo de referência sobre o espaço e o tempo duriense” do século XXI. A exposição CÔA DOURO: para uma memória futura está dividida entre o Museu do Côa e o Museu do Douro.

https://www.publico.pt/2022/01/10/p3/fotogaleria/beleza-douro-coa-lente-quatro-fotografos-portugueses-407366

30 mil anos de história no Vale do Côa

Salvar as gravuras de Foz Côa foi um dos momentos mais relevantes da sociedade civil dos anos 90 em Portugal. Um marco cultural de que o país se pode orgulhar, e que está devidamente destacado no interior do Museu. Estas gravuras são vestígios que nos remetem para a preocupação já existente nos nossos antepassados em deixar um relato, gravado nas rochas, das suas vidas. Ninguém fica indiferente à beleza deste local e à do próprio edifício que, embora seja “um dos maiores museus portugueses, assenta graciosamente no topo da colina”, como refere o site da instituição. Uma autêntica celebração do encontro dos dois patrimónios mundiais da região.